Regime comunista.. o que é isso mesmo?

Sempre que escrevo alguma coisa o faço para tornar menos tediosa minha quarentena que me impede de ir pescar, atividade que exerço em tempo integral depois que me aposentei. Vendo e ouvindo os comentários das autoridades da área politica e econômica me ponho a pensar que errei ao não estudar psicologia, filosofia, antropologia e outros “ia” da vida.

Como entender os conceitos de esquerda e direita nos campos da política e da economia? A mais de quatro (04) mil anos, os chineses já sabiam o que significava ser de esquerda. Então, como os chineses conceituavam essa adjetivação da natureza humana? “De esquerda são todos aqueles que se opõem ao “status quo” vigente em qualquer civilização terrena”. Ouvi isso assistindo a um filme, mais precisamente uma série chinesa na netflix. São os efeitos colaterais da pandemia. Sem nada para ver ou ouvir sintonizo minha TV numa série chinesa denominada “ETERNAL LOVE”. Para minha surpresa, à medida que o tempo ia passando o desejo de mudar de “canal” não se apresentava e me concentro nos episódios quando vejo um integrante do “Reino Celestial” afirmar aquilo que digitei acima sobre o que é a esquerda.

Em outra ocasião, durante o governo da Dilma ou do Lula, cheguei a minha casa no final da tarde, após passar o dia tomando umas cervejas na praia. Já eram pouco mais das 18h00min quando, em vez de comer alguma coisa, fui direto para cama e dormir até pouco mais da meia noite. Acordei, liguei a TV e me deparei, estava sintonizado em um noticiário ou nos canais tipo History, com uma figura feminina, com cara de desleixada, lendo um manifesto sobre o perigo do avanço das esquerdas no mundo e, em especial, na América do Sul. Acho que se tratava de uma reunião das Nações Unidas.

Fiquei pasmo com aquilo, pois, achava que “aquilo” só acontecia em filmes de ficção. Não me lembro do conteúdo, mas me lembro, bem, da intenção. Denunciava o avanço das esquerdas e conclamava a uma cruzada para barrar esse avanço. Quem são essas pessoas que delimitam esse segmento? O que pretendem? São vários segmentos? Quem são esses que nos Estados Unidos da América conseguiram tirar do currículo das escolas a teoria da evolução trocando-o pelo criacionismo? Quem são esses segmentos que pretendem mudar, completamente, nosso modo de viver moldando-o aos seus objetivos através de uma propaganda nacionalista, agressiva e alienante? Quem são esses segmentos da população que compõem a TFP? Qual o perfil psicológico desses segmentos todos? Vamos contextualizar elencando palavras que são usadas por esses grupos, cotidianamente. Tradição (leia-se retrocesso), família (leia-se alienação), propriedade (leia-se medo do comunismo), nacionalismo (leia-se enquadramento), etc. Como podemos explicar esses movimentos a não ser compostos por pessoas que não conseguem se enquadrar no dinamismo natural da espécie humana que avança e recua ao sabor dos acontecimentos, topografia, clima, fauna, flora, biota em resumo, etc. reinante num determinado momento das nossas vidas. Não há condição de “parar o mundo”! Isso para quem não aceita o “modus vivendi” dos diversos povos que compõem um município, um estado, uma nação ou, até mesmo, nosso planeta.

Vamos analisar o “medo do comunismo”. Ao ouvir coisas do tipo, fico todo arrepiado e com vontade de vomitar. Durante o processo de impedimento da Presidenteeeeee Dilma Rousseff, lembro bem, que um oficial do exercito brasileiro prestou depoimento e no final desse depoimento, exclamou: “mas ela é comunista”. O que diabos significa isso?  Se aquele oficial acredita, realmente, no que estava dizendo nos fica a sensação de que nosso exército é composto por pessoas alienadas. Se não vejamos: alguém aqui acredita que a guerra fria dizia respeito aos regimes de governo ou sistemas econômicos, adotados por aquelas duas potências envolvidas no conflito – capitalismo X comunismo – ou simplesmente tratava-se de uma disputa para delimitar áreas de influencia onde pudesse controlar a produção de produtos e serviços essenciais para a afirmação do seu poderio e domínio de parcela composta por países como a composição que resultou no Tratado do Atlântico Norte? Comunismo e capitalismo era uma disputa ideológica, envolvendo vários povos, única e exclusivamente para esconder os verdadeiros motivos que, em última instância, eram as disputas Geopolíticas na busca de afirmação e imposição do seu poderio econômico e delimitação de áreas de influência. Nosso modo de viver, apesar de parecer o cerne da questão, era, tão somente, pano de fundo para as disputas territoriais.

Passado o tempo, hoje, temos um cenário se não interessante eu diria muito intrigante. Os EUA, na figura de seu esquisito presidente, demonstra forte admiração pela Rússia. De repente você se dá conta de que ambos – EUA e Rússia – adotam posturas ditas de direita, ou seja: governos autoritários, centralizadores, afeitos ao culto à personalidade, nacionalistas, homofóbicos, racistas, etc. Então porque nossos oficiais continuam com essa ladainha de “comunistas”?

A Rússia, hoje, adota uma democracia parlamentarista como regime de governo e o capitalismo como sistema. Na época em que Hugo Chávez assumiu a presidência da Republica Venezuelana teve o apoio da Rússia assim como da China que, ainda, não era um ator de peso no cenário mundial. Então, porque adotou uma ditadura dita socialista? República Socialista Bolivariana. É correto afirmar: um regime de governo dito socialista não aceita o contraditório nem permite que seus cidadãos elejam seus representantes pelo voto popular. Eu, desde que era universitário na UFBA, sempre tive dúvidas com relação à diferença, se é que existe, entre uma ditadura de esquerda e uma ditadura de direita. É suficiente saber que não existe diferença alguma. Os malefícios são os mesmos: inexistência de liberdades individuais.

Olhando mais atentamente iremos verificar que não existe, mais, nenhum país que adote ao sistema comunitário como sistema econômico ou de governo. Aqueles que pensaram na China saibam que eles, a bastante tempo, adotaram um sistema misto em função da necessária transição de um sistema comunista para capitalista e o regime de governo é socialista no papel e, na prática, uma ditadura do estado com partido único onde ninguém vota para eleger os representantes desse partido único.

Na minha vida universitária aprendi que capitalismo e comunismo são sistemas econômicos adotados por alguns povos. Normalmente os regimes democráticos e suas derivações adotam o capitalismo como sistema econômico e os que adotaram o sistema comunista possuíam, sempre, como regime de governo o socialismo. Então o comunismo se opõe ao capitalismo no que diz respeito ao sistema econômico. Entretanto, hoje, não mais conseguimos ver, em lugar algum, essa concepção. No inicio da pandemia do coronavírus assistir um noticiário na TV por assinatura em que uma economista brasileira, fazendo pós PhD, repetiu diversas vezes a sentença “regime comunista”. Nunca existiu um regime comunista. Este sistema se caracteriza por dois aspectos fundamentais: propriedade privada e livre iniciativa na forma de se remunerar não existem. Tudo é do estado que por sua vez pertence a todos. Devemos ter cuidado para não confundir regimes de governo, sistemas de governo e formas de governo. Na literatura moderna; leia-se: mídias sociais, sites especializados, e-books, literatura convencional etc. Uma miscelânea difícil de entender. Um sistema de governo é confundido com uma estrutura administrativa de governo ou com uma estrutura de estado e por ai vai. Não é atoa que as pessoas não consigam se situar e, mesmo de alto nível intelectual, fique repetindo “regime comunista”.

Vamos tentar dar nossa visão a respeito desses sistemas ou regimes. Necessário se faz uma reflexão sobre como tudo começou.

De acordo com a história tudo começou num sistema tribal onde um chefe era designado ou escolhido a partir do momento em que a espécie humana começou a viver em ajuntamentos. Essas estruturas evoluíram para sistema semelhante, mas com divisões mais sofisticadas, porém com a mesma forma. Nesse galope surgiu o absolutismo onde o chefe, agora denominado rei, tinha o poder absoluto e, nele, estavam contidos o executivo, o judiciário e o legislativo como o conhecemos hoje. O sistema econômico, ainda rudimentar, era uma concessão do estado absolutista que permitia a existência de pequeno comércio, as fazendas com um senhor com subordinação, apenas, ao rei e que tudo fazia em nome do rei. A forma inicial de divisão do produto obtido nessas fazendas era a partilha onde o poder central ficava com parte significativa da produção. Com a evolução das práticas comerciais foi sendo adotado o sistema de cobrança de taxas e tributos para custear a estrutura do estado absolutista. À medida que aumentava a complexidade dessas estruturas foram surgindo derivações do estado absolutista assim como seus escritos para distingui-las. Até o final do século 19 o Brasil viveu na condição de estado absolutista monárquico com a chegada da família real portuguesa em 1808, fugindo do império francês comandado por Napoleão Bonaparte. Mas, ainda na Grécia antiga, um regime democrático foi experimentado pelo povo grego: a democracia ateniense.

O restante fica para outro post…

ACESSÓRIOS FEMININOS
GRANDES OFERTAS
TUDO PARA SUA CASA
SUA LISTA DE DESEJOS
PROMOÇÕES
NOVO USUÁRIO GANHA PRESENTES

Compartilhe nas redes sociais

Deixe uma resposta